terça-feira

O tráfico humano existe ou é história de novela?


Sim, infelizmente existe. E é mais frequente do que imaginamos.
Já reparou como somem pessoas? Já viu como tem foto de gente que sumiu compartilhada no facebook?
Percebeu que a maioria são mulheres e dessas mulheres, a maioria é criança?
De cada cinco vítimas, quatro são mulheres ou meninas, e metade são menores de idade.
Se não existisse essa cultura da bundalização, esses homens que querem mostrar poder comprando mulheres, a cultura do estupro, homens que consomem a prostituição e a pornografia e não estão nem aí com a vida da mulher/homem que se submete a isso (obrigada a fazer ou não), talvez esse crime não existisse.


Campanha que mostra aos homens os papéis invertidos da prostituição.

A Caros Amigos fez uma reportagem sobre o assunto que é o terceiro crime no mundo que mais tem lucro (os outros dois são tráfico de drogas e contrabando de armas).
É tão real esse crime, e é tão assombroso o número de pessoas que são feitas de escravas que até assusta: 2,4 milhões são traficadas todo ano.
A maioria é explorada sexualmente mas existe também as que são vítimas do tráfico de órgãos.
70 mil brasileiras (alguns brasileiros) são traficadas por ano. Os principais destinos são Espanha, Portugal, França, Itália e EUA. Algumas também estão no Brasil.

A mulher transformada em escrava sexual tem seus documentos retidos. Cria-se uma dívida impossível de pagar para ela, que é obrigada a se prostituir mais de dez vezes por dia. Se ela tentar fugir, pode ser morta. Sua família também é ameaçada. O lucro que as organizações criminosas têm com o tráfico de pessoas é de US$ 32 bilhões por ano. (Blog da Lola)


Esta publicidade de Luxemburgo diz:
“Se você paga uma prostituta, você está financiando o comércio humano.



Esses cartazes de Cingapura me deixaram extremamente triste e me fizeram perder ainda mais a fé na humanidade. Mas são justamente para chocar e para fazer as pessoas tomarem cuidado. 

A pessoa traficada pode ter sido forçada ou pode ter dado seu consentimento. Mas esse consentimento é chamado de "engano" e não descaracteriza o crime já que ela é enganada com propostas de emprego (até mesmo sabe que é como prostituta mas não sabe as condições, sabe somente que ganhará muito) e promessas de uma vida melhor. Então, mesmo consentindo em ser traficada a pessoa continua tendo o direito de ser protegida por lei.

Para combater seriam necessárias certas medidas de prevenção e assim enfrentar o tráfico de seres humanos. Uma delas seria dificultando a migração legal, diminuindo as possibilidades para o trabalho no exterior e limitando, principalmente, os direitos das mulheres migrantes.
Ou possibilitando a migração de maneira legal e segura, onde os migrantes teriam os seus direitos garantidos e assim ninguém mais cairia nas redes do tráfico. Isso talvez seja possível quando vários países assinarem a ‘Convenção Internacional sobre a Proteção dos Direitos de Todos os Trabalhadores Migrantes e dos Membros das suas Famílias’. (leia mais)


"Eu estava apaixonada. Meu ´príncipe encantado` me prometeu uma vida nova na Holanda, longe da vida dura que eu tinha. Nem passou pela minha cabeça que eu estava sendo aliciada para uma rede de exploração sexual. O príncipe era uma monstro. E eu vivi um pesadelo."

Uma mulher sul-americana, foi vítima do tráfico de pessoas para exploração sexual. Por ser de uma família pobre, inicialmente, consentiu em trabalhar ilegalmente na América do Norte.



Histórias assim são muito comuns. Há muitas pessoas que buscam uma melhora de vida e muitas vezes acabam querendo isso a qualquer preço. Assim, elas são persuadidas por uma falsa promessa que, na realidade era exploração sexual e escravidão.
Os estudos do UNODC apontam que, normalmente, os traficantes e as vítimas são da mesma nacionalidade e na maioria dos casos são convencidas por um parente, suposto amigo ou alguém de confiança. Para ajudar a prevenção de casos como esses o UNODC se une com os governos, cria campanhas que são mostradas no rádio e TV, distribui panfletos informativos, promove treinamento para policiais, promotores, procuradores e juízes. (veja aqui o manual da luta contra o tráfico humano)

Para finalizar o post, um comercial sobre o tráfico humano:



“A cada minuto, uma pessoa é usada para tráfico sexual. Não feche os olhos para os perigos do tráfico humano. A cada minuto, outra jovem é traficada pela exploração sexual. Você pode parar isso”.

3 comentários:

  1. †hå|§ MëÐëir0s Ðë Šoµzå23 de janeiro de 2013 02:44

    Meu Deus to horrorizada.To fazendo um trabalho sobre isso e seu texto me ajudou muito. Sinceramente não sabia que era dessa maneira e que eram tantas pessoas; Lamentável.
    Obrigada mesmo assim. Beijos e vamos nos cuidar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que o post ajudou.
      Mas é terrível mesmo que existam pessoas sem um pingo de amor ao próximo.
      Pena que os Maias estavam errados, pois sabendo dessas coisas dá vontade de ver esse mundo acabar logo!
      Vamos nos cuidar e alertar as pessoas.
      Beijos.

      Excluir
  2. Nossa estou chocada. Esse post me ajudou muito em um trabalho, obrigada. Deus nos livre e guarde acontecer uma coisas dessas com a gente.

    ResponderExcluir

Deixe abaixo de seu comentário o endereço do seu blog para que eu possa retribuir a visita :D